Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Defesa brilha, anula Peyton Manning,  e Seattle Seahawks leva o Super Bowl

Defesa brilha, anula Peyton Manning, e Seattle Seahawks leva o Super Bowl

Segunda - 03/02/2014

O melhor ataque x a melhor defesa. Experiência x juventude. Peyton Manning x Russell Wilson. A maioria das previsões sobre o Super Bowl 48 apontava uma partida equilibrada, apesar dos contrastes entre as duas equipes envolvidas. Mas, no campo do MetLife Stadium, em Nova Jersey, o que se viu foi uma verdadeira lavada capitaneada pelo Seattle Seahawks, que não economizou na artilharia contra o Denver Broncos e conquistou seu primeiro título de forma avassaladora na noite deste domingo, por 43 a 8.
Os holofotes estavam voltados para a lenda Peyton Manning, que buscava a consagração definitiva. Mas na maior temporada de um quarterback na história da NFL, o veterano jogador de 37 anos se viu perdido em campo diante de uma defesa que não dava espaço. Foram duas interceptações apenas no primeiro tempo. O recorde de jardas aéreas na pré-temporada quebrado durante o Super Bowl praticamente passou despercebido.
A história da decisão da NFL já apontava um cenário mais favorável para o Seattle Seahawks. Nas cinco edições em que o melhor ataque enfrentou a melhor defesa, os defensores conquistaram larga vantagem: quatro vitórias contra apenas uma derrota. E o vencedor da Divisão Oeste da NFC fez jus ao retrospecto. Com uma atuação implacável, a equipe de Russell Wilson nem precisou de muito tempo para abrir uma ampla vantagem no placar. E foi para o intervalo com nada menos que 22 pontos de frente.
O “massacre” continuou após o show do cantor havaiano Bruno Mars e da banda de rock Red Hot Chilli Peppers. Já no meio do terceiro quarto, os jogadores do Seattle que acompanhavam a partida fora do campo não ficavam mais inibidos em comemorar a vitória. Ao Denver só restava tentar tirar o humilhante zero do placar. O que só aconteceu faltando poucos segundos para terminar a parcial, quando já era tarde demais para impedir que os Seahawks arrebatassem o Super Bowl com um dos desempenhos mais consistentes dos últimos anos.
As atenções no início do confronto estavam voltadas para Peyton Manning, que se tornaria o primeiro quarterback na história da NFL a conquistar o Super Bowl por dois times diferentes (ele venceu com o Indianapolis Colts em 2007). O jogador começou sua primeira campanha na linha de 14 jardas, mas o resultado ficou longe do esperado. O primeiro snap do jogo foi feito de forma errada, e a bola entrou na end zone dos Broncos: safety e 2 a 0 para o Seattle Seahawks logo de cara.
Era a vez de o Seattle atacar. Russell Wilson correu, mostrou versatilidade e levou o time ao campo de ataque. Mesmo assim, não conseguiu entrar na end zone, e os Seahawks tiveram que se contentar com o field goal de 31 jardas de Steven Hauschka: 5 a 0 no placar. Na sequência, na linha de 35 jardas, após uma falta de 15 contra Seattle, Manning teve a chance de liderar os Broncos - dessa vez sem sustos no snap. Foi aí que a tão temida defesa dos Seahawks entrou em ação. Ela não permitiu a primeira descida adversária e obrigou o Denver a devolver a bola.
Com Marshawn Lynch bem marcado, Russell Wilson encontrou em Doug Baldwin a solução. O quarterback achou o wide receiver sozinho na esquerda, que foi parado perto da end zone. Quando o touchdown parecia certo, Nate Irving conseguiu salvar os Broncos ao tirar a bola das mãos de Jermaine Kearse dentro da end zone. Mais uma vez, o Seattle foi para o chute: 8 a 0.
O pesadelo de Manning começou realmente na terceira campanha dos Broncos, quando ele teve um lançamento interceptado por Kam Chancellor. Os Seahawks aproveitaram e partiram para o ataque. Em um vacilo da defesa de Denver, os árbitros marcaram falta de Tony Carter em Golden Tate, e a bola ficou na linha de uma jarda. Bom para Marshawn Lynch, que correu e anotou o primeiro touchdown do Super Bowl 48 (15 a 0).
Os Broncos partiram para o ataque e, enfim, conseguiram a primeira descida com Knowshon Moreno. Mas a alegria durou pouco, e Manning se viu em apuros mais uma vez. O quarterback foi interceptado pela segunda vez na partida, dessa vez por Malcolm Smith, linebacker que foi eleito o MVP da final. Para piorar, Smith correu para a end zone e marcou o segundo touchdown dos Seahawks no jogo: 22 a 0 no placar.
O time de Denver voltou do intervalo com a árdua missão de superar a defesa implacável do Seattle. Mas a equipe do camisa 18 Peyton Manning falhou na tentativa de reverter o cenário crítico desenhado na primeira parte do confronto. Percy Harvin fez um touchdown no retorno de 89 jardas e ampliou a vantagem dos Seahawks para 29 a 0. A situação ficou ainda pior quando Demaryius Thomas, wide receiver dos Broncos, sofreu um fumble e abriu caminho para mais um touchdown dos adversários.
A essa altura, o Seattle já vencia pelo confortável placar de 36 a 0. Os esforços do Denver se voltaram para a tentativa de marcar os primeiros pontos. A poucos segundos do fim do terceiro quarto, Thomas se livrou da marcação dos Seahawks e fez a recepção para, enfim, tirar o zero do placar: 36 a 6. Na sequência, os Broncos arriscaram a conversão de 2 pontos e conseguiram entrar na end zone com Wes Welker: 36 a 8.
A última parcial apenas confirmou o resultado que foi sendo desenhado de forma implacável ao longo da partida. Russell Wilson encontrou Doug Baldwin livre e passou a bola para o wide receiver, que se livrou da marcação e pulou na end zone para fazer 43 a 8. Com o jogo já decidido, o Seattle passou a administrar o ataque. À defesa que conseguiu parar Peyton Manning, restou fazer a festa na principal noite do esporte americano. Antes mesmo do fim do jogo, o técnico Pete Carroll já tomava o tradicional banho dos seus jogadores para coroar a temporada campeã do Seattle Seahawks.
Fonte:globoesporte

Horário

Segunda a sexta-feira a partir das 11h30
Sábado e domingo a partir das 12h00

Local

Rua Cuiabá, 57 - Jardim Paulistano Sorocaba - SP

Fone

(15) 3321-2940

Indique nosso site!