Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Pra quem pode: na Argentina, taça é tocada por sete campeões do mundo

Pra quem pode: na Argentina, taça é tocada por sete campeões do mundo

Terça - 14/01/2014

Quase um time de heróis perfilado. Sete argentinos campeões mundiais, dois da campanha de 1978 e outros cinco do êxito de 1986, foram convidados de honra do primeiro dia da passagem da Taça da Copa do Mundo pela Argentina, nesta segunda-feira, em Mar del Plata. Como somente chefes de estado e jogadores que conquistaram o torneio podem tocar o troféu, todos eles tiveram tal privilégio. Isso em evento fechado que contou com mais de 150 jornalistas.
A paixão que o futebol desperta na Argentina ficou evidenciada na reação dos antigos ídolos quando se depararam com a taça. Um dos mais comovidos com o convite era Fillol, que no Brasil chegou a atuar pelo Flamengo. Campeão mundial em 1978, o ex-goleiro se sensibilizou com a oportunidade de um novo contato direto com o que simboliza a principal glória de sua carreira. E ele tem sonhos ambiciosos para a atual seleção argentina, citando inclusive a sorte de o país de ter tido Maradona e agora, Messi.
- Carrego este sentimento de campeão mundial e espero que nós possamos conquistar esta teça pela terceira vez. Com a estrela de Maradona, ganhamos duas taças. Passado este período sensacional, tivemos a chegada de Messi. Nenhum país do mundo teve este privilégio – frisou Fillol, que no fim do ano passado esteve no Rio de Janeiro para jogar um amistoso beneficente do amigo Zico, no Maracanã.
Outro integrante da seleção de 78 na homenagem foi Tarantini, defensor daquela equipe. Da geração de 86 estavam presentes Pumpido, Ruggeri, Olarticoecoecha, Giusti e Batista. Este último chegou inclusive a ser o treinador da Argentina no início do ciclo para o Mundial deste ano. Porém, depois de alguns insucessos, foi substituído por Alejandro Sabella.
Pumpido, então goleiro daquela equipe, também revelou-se emocionado por estar diante do troféu mais uma vez. Ele garante fazer parte de um grupo distinto de jogadores da história do futebol argentino e ainda aproveitou para apimentar a rivalidade com a seleção brasileira.
- É difícil explicar o que é levantar a Copa do Mundo. Por sorte, temos mais de 40 jogadores que conseguiram isso pelo nosso país. É especial ser um deles. Esperamos vencer novamente. Torço para uma decisão contra o Brasil e que seja 2 a 1 para nós, com gol do Messi no último minuto, no Maracanã – provocou Pumpido.
No início do dia, o embaixador da Fifa Gabriel Calderón, posou para fotos com o troféu ainda na chegada do avião a Mar del Plata. Como não passou de um vice-campeonato mundial pela Argentina, em 1990, Calderón pôde apreciar o troféu apenas com os olhos. Ele já havia tido a honra de acompanhar a taça durante passagem pelo Oriente Médio, em dezembro.
Nesta terça-feira, a Taça da Copa do Mundo segue em Mar del Plata para um evento de maior porte chamado de “Fun Experience”, que conta com visitação do público, que tem direito a tirar uma foto com o troféu, entre outras atividades interativas.
Fonte: globoesporte

Horário

Segunda a sexta-feira a partir das 11h30
Sábado e domingo a partir das 12h00

Local

Rua Cuiabá, 57 - Jardim Paulistano Sorocaba - SP

Fone

(15) 3321-2940

Indique nosso site!