Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Com valor zero no mercado, Adriano seria bom em marketing de superação

Com valor zero no mercado, Adriano seria bom em marketing de superação

Quinta - 05/12/2013

No produto futebol, Adriano está em baixa no mercado. Sem atuar desde março de 2012, com saída problemática do Flamengo no fim do ano passado e dúvidas sobre suas reais condições físicas e da recuperação de duas cirurgias no tendão do pé esquerdo, o Imperador tenta sair do ostracismo e adiar a aposentadoria. Sem vínculo com o Atlético-PR, o atacante usa as instalações e profissionais do Furacão para tentar aquela que pode ser a sua última cartada para voltar a jogar. Mas, ao tentar retornar para a vitrine da bola, o jogador de 31 anos é considerado um investimento de risco e com valor de mercado igual a zero.
Essa é a análise de Fernando Ferreira, economista com especialização em pesquisa de mercado e gestão e marketing esportivo, e sócio da Pluri Consultoria, empresa que realiza pesquisas e análises do meio profissional esportivo.
- O valor de mercado atual do Adriano é zero, pois a carreira está suspensa e o risco do investimento é considerável. Voltando a jogar, dá para reavaliar. O único tipo de contrato que faz sentido é o por produtividade – afirmou Fernando Ferreira.
Desde que foi vendido pelo Flamengo (2000) por 7 milhões de euros até o ápice no Inter de Milão, em 2006, quando, aos 24 anos, atingiu um valor de mercado de € 31 milhões, Adriano se valorizou em 343%. A partir daí, porém, o atacante entrou em fase de declínio até chegar ao marco zero.
Na passagem do atacante pelo Flamengo em 2012 - quando não atuou em nenhum jogo - o clube pagou apenas R$ 15 mil referentes aos dias em que ele treinou em agosto e se resguardou diante dos riscos. Inicialmente, o Flamengo acertou com Adriano um contrato que previa R$ 50 mil mensais - referentes a direito de imagem - e mais R$ 50 mil por cada jogo disputado, sem carteira assinada. Como Adriano saiu sem entrar em campo, nada ganhou por produção. Além disso, as advertências por indisciplina suspenderam o pagamento por direitos de imagem.

Recuo do Inter, na pauta do Palmeiras e previsão de aposentadoria.

Em junho, o atacante esteve próximo de um acerto com o Internacional. Mas o clube recuou depois dos resultados dos exames médicos. O diretor médico colorado, Paulo Rabello, admitiu que o tempo parado, somado aos dois procedimentos cirúrgicos no tendão do pé esquerdo, atrapalhou o acerto. Mesmo após as cirurgias, Adriano não respeitou restrições e prejudicou sua recuperação.
Na atual temporada, Adriano recebeu propostas da Ásia. Em março, o nome do jogador entrou na pauta do Palmeiras. Na ocasião, o diretor executivo José Carlos Brunoro disse que foi procurado por representantes do Imperador, que teriam manifestado o desejo dele de retomar a carreira.
Em agosto, Fabiano Farah - empresário renomado no futebol que já trabalhou com Ronaldo e Roberto Carlos – traçou metas para Adriano, consultou médicos para recuperação do tendão e também para a relação com o álcool. O trabalho seria realizado no Botafogo.
O Imperador teria ficado reticente por conta da carga de trabalho e, segundo o gerente técnico do Alvinegro, Sidnei Loureiro, teria admitido pendurar as chuteiras.
- Ele disse que queria saber qual era a condição física, e disponibilizamos pessoas da nossa confiança no clube. A situação não é simples, teria que ter muito cuidado e, mesmo que tivesse a melhor dedicação, existia a chance de não ter resultado. Estipulamos mais ou menos seis meses. O tendão dele pode não responder ao estímulo para voltar a ser de atleta, porque hoje em dia é de uma pessoa normal. Ele disse que conhece o corpo dele e sabia que algo estava errado, que não era por falta de dedicação no tratamento. Sentia que a coisa não evoluía, sabia do limite, da idade e que seis meses seriam demais sem alguma garantia. Está pensando em encerrar, mas que se mudasse de ideia voltaríamos a conversar - revelou Sidnei, na ocasião.

Marketing da superação.

Recentemente, a Nike encerrou o contrato com Adriano. Com a imagem desgastada pela inatividade e estripulias fora de campo, o Imperador poderia ser alvo de alguma abordagem de marketing de superação.
- Para o marketing tradicional, o produto não é adequado no momento, apesar do bom potencial do jogador, caso a carreira volte a engrenar. Mas algum tipo de abordagem de marketing mais específica pode fazer sentido porque é um jogador muito conhecido. Imagine uma empresa ou marca que queira vender a ideia de superação, de nunca desistir? O Adriano pode ser um bom símbolo disso - analisou Fernando Ferreira.
Desde junho de 2010, Adriano disputou apenas 16 jogos – oito pelo Roma e oito pelo Corinthians – e marcou dois gols. Nesse tempo, atuou uma única vez durante 90 minutos. Sua última partida aconteceu no dia 4 de março do ano passado. O Atlético-PR somente fará alguma movimentação por uma possível questão contratual depois do período de treinos e exames. Adriano chegou a Curitiba na segunda-feira e, desde então, realiza atividades no CT do Furacão.
- Contamos com médico, psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta, CT, estádio. É só ele se dedicar. Existe essa vontade dele. Eu falei com ele que não basta só falar e ter vontade, é preciso atitude, responsabilidade, disciplina. Ele está animado e isso nos anima, pois fortalece o Atlético-PR e o reconhecimento do clube nacional e internacionalmente - afirmou o vice-presidente do clube, Luiz Salim Emed, em entrevista à rádio Estadão.
Fonte: globoesporte

Horário

Segunda a sexta-feira a partir das 11h30
Sábado e domingo a partir das 12h00

Local

Rua Cuiabá, 57 - Jardim Paulistano Sorocaba - SP

Fone

(15) 3321-2940

Indique nosso site!