Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Números: Massa lidera rankings de ultrapassagens e punições em 2013

Números: Massa lidera rankings de ultrapassagens e punições em 2013

Terça - 03/12/2013

Quando se fala dos números da Fórmula 1 em 2013, não se pode deixar de mencionar Sebastian Vettel. Neste ano, o piloto da RBR se tornou o tetracampeão mais jovem da história e alcançou outros recordes importantes. Com as nove vitórias seguidas, bateu os sete triunfos de Michael Schumacher em um mesmo ano (2004) e igualou o feito de Alberto Ascari (1952 a 1953). Além disso, empatou com Schumi em outra marca: 13 provas vencidas em uma temporada. Mas há diversos outros quesitos que nem sempre foi o jovem alemão que liderou na somatória das 19 etapas de 2013, como o ranking de ultrapassagens, encabeçado por Felipe Massa. Confira:

VITÓRIAS, PÓDIOS, POLES E MELHORES VOLTAS

Nesses quesitos só deu Sebastian Vettel. O alemão venceu 13 vezes, contra duas de Fernando Alonso e Nico Rosberg e uma de Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton. Ele subiu ao pódio em nove ocasiões. Quem mais ficou próximo foi Alonso, nove. O tetracampeão largou na pole nove vezes, Lewis Hamilton, cinco, Rosberg, três e Webber, duas. Em melhores voltas o placar ficou mais apertado: Vettel levou a melhor sobre Webber por 7 a 5.

ULTRAPASSAGENS

Já quando o assunto é ultrapassagem, ninguém foi melhor que Felipe Massa. O brasileiro superou 76 rivais ao longo do ano. Destaque para suas atuações nos GPs da Inglaterra e
Coreia, onde fez 12 e 9 manobras, respectivamente, além das provas da Bélgica e do Canadá, onde deixou oito pilotos para trás em cada uma. Na sequência aparece Mark Webber, com 69, e Fernando Alonso, com 66. Sebastian Vettel ocupa o modesto 16º lugar, com 37. O que é totalmente compreensível, afinal, ele quase sempre largou das primeiras posições e. Os pilotos que menos vezes deixaram adversários para trás foram Jules Bianchi, Max Chilton e Heikki Kovalainen, com sete. Este último, porém, participou apenas das duas corridas de encerramento. Já o futuro companheiro de Massa na Williams, Valtteri Bottas, foi quem mais viu outros pilotos passarem e irem embora. O finlandês foi deixado para trás em 92 ocasiões.

POSIÇÕES GANHAS NA PRIMEIRA VOLTA

Já quando levamos em consideração apenas as primeiras voltas, quem mais ganhou posições foi Pastor Maldonado. Sempre começando do pelotão intermediário para trás, o venezuelano da Williams mostrou ser bom de largada, desbancando 29 rivais nas voltas de abertura. Porém, com o complicado carro da Williams, o futuro piloto da Lotus não conseguiu manter o nível durante toda a corrida e marcou um único ponto no ano.

VOLTAS NA LIDERANÇA

Sebastian Vettel, claro, foi quem mais ficou na liderança: 684 das 1131 voltas completadas, o que equivale a 60,48%, mais da metade do campeonato. O segundo, bem distante, foi Nico Rosberg, da Mercedes, que venceu duas vezes no ano. O piloto da Mercedes liderou 104 voltas (9,2%). Felipe Massa esteve na frente por dez giros, figurando na nona posição dessa lista, atrás também de Alonso (89), Webber (69), Hamilton (66) Raikkonen (41), Grosjean (36) e Sutil (11).

ABANDONOS E QUEBRAS

Os pilotos que mais tiveram azar no ano foram Paul di Resta e Jean-Eric Vergne. Ambos abandonaram cinco vezes. O escocês da Force India se envolveu em quatro acidentes e quebrou uma vez. Já o francês da STR ficou a pé em cinco ocasiões todas em razão de falhas mecânicas.

CORRIDAS COMPLETADAS

Apenas um piloto recebeu a bandeira quadriculada em todas as 19 provas do ano: Max Chilton. Ele foi o primeiro estreante a completar todas as corridas de uma temporada. Campeão e vice, Vettel e Alonso deixaram de terminar uma prova cada um: Inglaterra e Malásia, respectivamente. Porém, com o lento carro da Marussia, o jovem Chilton não foi quem mais deu mais voltas, já que foi retardatário em diversas ocasiões. Quem teve a maior quilometragem foi Jenson Button. O britânico da McLaren completou 1126 das 1131 voltas na temporada. Ele não terminou apenas o GP da Malásia. Quem menos andou no ano (excetuando Kovalainen, que participou de dois GPs) foi Kimi Raikkonen, com 929 voltas. O finlandês, entretanto, não competiu nos EUA e no Brasil em razão da operação na coluna. Curiosamente, no ano passado, Kimi liderou esse ranking.

PIT STOPS

Chilton foi também que mais parou nos boxes. Ao todo, foram 48 pit stops, seguido de perto por Mark Webber e Giedo van der Garde (47), além de Felipe Massa e Nico Rosberg (46).

PENALIDADES

Primeiro do ranking de ultrapassagens, Massa também lidera uma lista ingrata, a dos mais punidos. O brasileiro foi penalizado quatro vezes: uma por atrapalhar Mark Webber no treino classificatório para o GP da Espanha, outra por ter a caixa de marcha de sua Ferrari trocada, em Mônaco, outra por exceder o limite de velocidade nos boxes no Japão e a última, e mais polêmica, por passar com as quatro rodas na linha da entrada dos boxes no GP do Brasil, que lhe tirou as chances de pódio na sua despedida da Ferrari. Outros que também levaram quatro punições foram Esteban Gutiérrez (Sauber), Charles Pic (Caterham), Max Chilton (Marussia) e Giedo van der Garde (Caterham). Quatro pilotos passaram zerados nesse quesito: Vettel, Alonso, Di Resta, Bottas e Kovalainen.

TREINOS CLASSIFICATÓRIOS

Vettel foi o único a avançar ao Q3 em todos os 19 treinos classificatórios. Webber, Alonso e Hamilton ficaram fora da disputa da superpole apenas uma vez. Felipe Massa caiu no Q2 em quatro ocasiões. Apenas Charles Pic (Caterham) foi eliminado no Q1 em todas as etapas. Dos demais pilotos das equipes nanicas, seu companheiro Van der Garde avançou ao Q2 duas vezes e Jules Bianchi e Max Chilton, da Marussia, uma.

PLACAR ENTRE PILOTOS DA MESMA EQUIPE EM TREINOS CLASSIFICATÓRIOS

Sauber: Nico Hulkenberg 18 x 1 Esteban Gutiérrez
Marussia: Jules Bianchi 17 x 2 Max Chilton
RBR: Sebastian Vettel 17 x 2 Mark Webber
STR: Daniel Ricciardo 15 x 4 Jean-Eric Vergne
Williams: Valtteri Bottas 12 x 7 Pastor Maldonado
McLaren: Lewis Hamilton 11 x 8 Nico Rosberg
Caterham: Charles Pic 11 x 8 Giedo van der Garde
Force India: Paul di Resta 11 x 8 Adrian Sutil
Lotus: Kimi Raikkonen 10 x 7 Romain Grosjean
Ferrari: Fernando Alonso 10 x 9 Felipe Massa
McLaren: Sergio Peérez 10 x 9 Jenson Button
Lotus: Romain Grosjean 2 x 0 Heikki Kovalainen
MAIS RECORDES E CURIOSIDADES
- Sebastian Vettel foi líder em 18 dos 19 GPs, recorde na categoria
- A diferença do campeão Vettel para o vice-campeão Fernando Alonso foi de 155 pontos (397 a 242), a maior da história da categoria
- Com as 13 vitórias no ano, Vettel chegou a 39 triunfos e deixou Alonso (32) para trás como o maior vencedor em atividade
- Com as 13 vitórias de Vettel e as duas de Rosberg, a Alemanha se tornou o país com mais triunfos em um mesmo ano
- A Alemanha ultrapassou o Brasil em número de pole positions na F-1. Os germânicos agora somam 128 contra 125 dos brasileiros. A Grã-Bretanha lidera com 217
- Fernando Alonso se tornou o piloto com mais pontos na Fórmula 1. No GP do Japão, ele superou os 1566 pontos de Michael Schumacher e, no fim da temporada, chegou aos 1606
- Massa se tornou o terceiro piloto com mais participações por uma mesma equipe na F-1. Foram 139 aparições com a Ferrari, menos apenas que as 180 de Michael Schumacher pela escuderia e as 150 de David Coulthard com a McLaren
- Raikkonen chegou a 27 provas consecutivas na zona de pontuação, superando o recorde de Michael Schumacher, 24
- A Ferrari estabeleceu a maior sequência de corridas com pelo menos um de seus pilotos na zona de pontuação na história da F-1: 67, do GP da Alemanha de 2010 ao GP do Brasil de 2013
- A Renault superou a Ferrari em poles (213 x 208) e pontos (6126,5 x 6082,5) no ranking dos motores de mais sucesso na categoria.
Fonte: globoesporte

Horário

Segunda a sexta-feira a partir das 11h30
Sábado e domingo a partir das 12h00

Local

Rua Cuiabá, 57 - Jardim Paulistano Sorocaba - SP

Fone

(15) 3321-2940

Indique nosso site!