Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Vitrine
Berlin Costelaria | Entre treinos e aulas, veterana Sarah Kaufman finalmente estreia no UFC

Entre treinos e aulas, veterana Sarah Kaufman finalmente estreia no UFC

Quarta - 16/10/2013

Com 18 lutas na carreira e apenas duas derrotas, para Ronda Rousey e Marloes Coenen, a veterana Sarah Kaufman não parece sentir a ansiedade própria dos estreantes no UFC. Aos 28 anos, a canadense subirá pela primeira vez no octógono diante da americana Jessica Eye, que tem dez vitórias e apenas uma derrota na carreira. Profissional desde 2006, Kaufman garantiu ao Combate.com que não imaginava fazer parte do evento quando iniciou sua trajetória no MMA:
- Eu levei muito tempo para chegar ao octógono do UFC, e eu ficarei muito feliz quando pisar lá. Primeiro porque é algo que nunca sonhei ver acontecer. Eu me inspirava no UFC e imaginava tentar ser uma lutadora de MMA para ver até onde poderia chegar. Eu via o UFC e, na medida em que melhorava e progredia como lutadora, começava a imaginar como seria legal estar aqui. Fui ficando cada vez mais próxima, e finalmente cheguei. É uma grande oportunidade, e vou fazer o máximo que puder com ela - disse ela, que era para ter estreado no evento de 28 de agosto, mas teve a luta cancelada após uma lesão da então adversária, Sara McMann.
Com o sorriso aberto e fala pausada e calma, além de um constante bom humor e sorriso estampado no rosto, a lutadora revelou que não treina em tempo integral, dividindo seu dia entre aulas e gerenciamento de sua academia. Mas se engana quem pensa que ela se incomoda com a dupla - e às vezes tripla - jornada diária:
- Eu me dedico totalmente à academia na qual dou aulas e treino. Ensino desde crianças até pessoas de idade. Eu faço de tudo lá, desde limpar o tatame até gerenciar a academia. Tenho uma agenda muito apertada, mas gosto de como levo a minha vida. Gosto de trabalhar e de ser tão dedicada às minhas funções, e não sei como algumas pessoas conseguem apenas lutar. Eu acho que ficaria entediada se só tivesse isso para fazer (risos). Me pergunto o que as pessoas fazem entre os treinos... Pode ser um pouco sacrificante quando estou em período de luta, mas consigo organizar a minha agenda, e tudo dá certo no fim. Acho que ser ocupada assim me faz ser uma lutadora melhor, porque consigo fazer meus treinos serem realmente intensos.
Kaufman falou sobre a preparação para enfrentar Eye e revelou que, se vencer, espera uma luta contra Cat Zingano para depois pensar na sonhada disputa de cinturão:
- Meu período de treinamentos foi ótimo. Treinei muitas coisas, estou em ótima forma e o peso está em dia. Sobre Jessica Eye, é uma grande adversária, muito parecida comigo, e por isso acho que faremos uma bela luta. Estou ansiosa para subir logo no octógono e fazer o que tenho que fazer, que é uma boa luta para os fãs. Espero conseguir uma chance de disputar o cinturão logo, mas não sei quais são os planos do UFC. Esse é o trabalho dos matchmakers. Só quero ir lá e lutar, mas estou preparadíssima para disputar o cinturão. Parece que querem que eu enfrente Cat Zingano antes de disputar o título. Se quiserem que eu lute com ela, tragam-na logo, para que façamos uma grande luta, e a vencedora disputará o cinturão.
A lutadora também comentou a evolução do MMA feminino. Para ela, o tempo fará com que as lutadoras apresentem uma evolução similar ao crescimento que os homens tiveram, e ressalta o equilíbrio dos combates entre mulheres no UFC:
- A evolução do MMA feminino nos últimos anos tem sido incrível, e as pessoas estão podendo ver com mais clareza que podemos praticar este esporte com muita qualidade. Quanto mais tempo tivermos para aprimorar nossas habilidades, a exemplo do que aconteceu com os homens, teremos mais e mais atletas completas subindo ao octógono para lutar. As lutas femininas são muito equilibradas, não há praticamente nenhuma em que aconteça um domínio absoluto de uma das partes. É vontade contra vontade, técnica contra técnica, e os espetáculos têm sido excelentes.
Perguntada se tem assistido ao TUF 18, comandado pelas técnicas e rivais Ronda Rousey e Miesha Tate, Sarah Kaufman disse que tem visto apenas partes do programa:
- Sim e não (risos). Tenho estado em período intenso de treinos, e só vejo partes do programa. Como dou aulas durante uma parte do dia, só consigo ver algumas partes do TUF, mas sei que as meninas estão indo muito bem. Tento acompanhar o que acontece na minha categoria, porque é relevante para mim. Acho que a revanche entre Ronda e Miesha será mais longa que a primeira luta, mas acho que Ronda vencerá novamente, apesar de achar que será uma batalha com mais troca de domínio entre as duas.
Para Sarah, Ronda Rousey, que a finalizou quando se enfrentaram no Strikeforce, é uma grande campeã e tem méritos por ter levado o MMA feminino a um novo patamar de atenção dentro do UFC. Kaufman também falou sobre a sua relação com a rival, e analisou o temperamento dela:
- Não conheço Ronda Rousey muito bem. Já interagimos algumas vezes, e ela sempre foi muito cordial e nada provocativa. Eu não sou agressiva, mas acho que ela pode ser se for posta em uma posição de confronto, ou se for provocada. Mas acho que ela vem fazendo um belo trabalho ao colocar o MMA feminino no UFC e sofrer toda a pressão que isso traz para as suas costas. E é claro que às vezes ela fala muito. Não é algo que eu faria, porque não é da minha personalidade. Ela tem o temperamento forte e é facilmente irritável, mas luta muito bem, e usa o seu lado agressivo para superar suas adversárias.
O canal Combate transmite a pesagem do UFC 166 às 18h (de Brasília) desta sexta-feira e todas as lutas do evento a partir de 19h15m de sábado. O Combate.com também exibe a pesagem e acompanha todo o card em Tempo Real no sábado, além de transmitir o duelo entre Dustin Pague e Kyoji Horiguchi, pela categoria peso-galo (até 61kg), ao vivo.
Fonte: sportv

Horário

Segunda a sexta-feira a partir das 11h30
Sábado e domingo a partir das 12h00

Local

Rua Cuiabá, 57 - Jardim Paulistano Sorocaba - SP

Fone

(15) 3321-2940

Indique nosso site!